blogue da disciplina de Psicologia Social da FLUP

terça-feira, 6 de novembro de 2007

imp digital


4 comentários:

A.Franco disse...

As impressões digitais são pontos de partida e não de chegada!
Sujeitam-se a apropriações indevidas dos bruxos e adivinhos. Não definem personalidade, mas aprisionam a identidade. É uma câmara oculta que nos vigia e que nos trama. É o arame farpado que nos envolve. Serve para nos mutilar as ambições, para nos ensacar responsabilidades e para nos reduzir a um código de barras.
Se, como diz o poema,”nasces selvagem” porquê as impressões digitais?
Franco

migas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
migas disse...

As impressões digitais são usadas há mais de mil anos como forma de identificação das pessoas. É usada pela sociedade como um controlo social; é uma forma de identificação do nosso corpo; e uma forma para legitimar as nossas decisões burocráticas.
Na minha opinião a nossa personalidade não é defenida pelas caraceterísticas das nossas impressões digitais, mas estas passam pelas características físicas que nos foi incutada pela natureza humana, são parte da nossa anatomia. A impressão digital que eu deixo em cada objecto, em cada corpo que toco, em qualquer coisa que seja uma estrutura física, acaba por deixar um registo da minha presença. É como se fosse uma fotografia ou um vídeo, que mais tarde quero recordar. Ainda bem que as tenho, pois se não as tivesse como iria responder pelos meus actos? E se não as tivesse? Que implicações e consequências sociais poderia causar? Se não houvesse nenhuma forma precisa de nos identificar? Eis uma situação que deixo para reflexão:

"Sem deixar rasto Cheryl Maynard nasceu com um traço que os bandidos de outros tempos matariam por ter: dedos que não deixam imporessões digitais. [...] a ausência de um padrão único na impressão dos seus dedos e das palmas da mão [...] embora não exista cura para a sua afecção, Cheryl mantém sentido de humor. Assombrado pela ausência de impressões degitais, um funcionário perguntou-lhe uma vez: "Não lhe podem dar umas?" "Não, mas se pudesse escolher, gostaria de ter as de Al Capone", respondeu". (A.R. Williams, 2007).

Augusta Baldaia disse...

As impressões digitais são uma das formas de identificar o indivíduo.
Apresentam pontos característicos e formações que permitem a um perito a identificação de forma bastante precisa.
Porém apesar de ser uma das formas de identificação mais usadas, a verdade é que existem algumas pessoas que apresentam as pontas dos dedos lisas, o denominado Síndrome de Ngali. Isto só vem confirmar a necessidade de existir outras formas de provar/comprovar a identidade do indivíduo pois somos todos parecidos e ao mesmo tempo diferentes.