blogue da disciplina de Psicologia Social da FLUP

sábado, 12 de dezembro de 2009

Cyberbullying

Cyberbullying "é o tipo de agressão aplicada discursivamente via meios de comunicação virtual", como o Orkut, Facebook, MySpace entre outros meios de comunicação que permitam a comunicação entre usuários.

O cyberbullying acontece por via da linguagem que se torna uma arma agressiva. É como um comportamento físico perante outra pessoa.
 
...os comportamentos humanos não se explicam, cada um de nós apresenta um determinado papel distinto na sociedade que compromete um comportamento diferente. Encontramo-nos sujeitos a teorias cognitivas – mecanismos interiores ao sujeito que condicionam a nossa resposta – e a estados de dissonância cognitiva – mudança no comportamento. Mudança de comportamento que provém das expectativas que criamos individualmente ou através de influências sociais. E como é de prever cada pessoa apresenta mecanismos interiores únicos que conferem respostas únicas e consequentemente diferentes umas das outras. Muitas vezes são essas respostas diferentes que fazem com que as pessoas não acordem em determinado assunto e uma das respostas a esse “não acordo” pode ser, por vezes, atitudes como o cyberbullying.

 - Cyberbullying é agressão e crime, de tal modo que merece punição por parte de quem o comete.

"
A prevenção começa pelo conhecimento; portanto, é imprescindível conscientizar os alunos sobre todos os tipos de crimes que o bullying envolve e para o fato de que o anonimato e a menoridade não os isentarão das punições previstas em lei."

  • http://www.dm.com.br/materias/show/t/os_danos_do_ciberbullying



5 comentários:

Priscila Lopo disse...

cerca de um ou dois dias atrás deu no telejornal uma reportagem especial acerca de mais uma vítima deste crime, o ciberbullyng. De facto é algo a que todos nós estamos sujeitos e um dos grandes riscos a pagar por todos os alegados benefícios que os meios de comunicação trazem.
creio que crimes como este não irão parar de acontecer, muito pelo contrário, penso que cada vez serão em maior quantidade e criatividade à medida e que as novas tecnologias se desenvolvem. Resta a cada um fazer os possiveis para evitar este tipo de fenómenos e dar informação e formação moral e ética áqueles que à priori estão sob a nossa responsabilidade.

Fátima disse...

De facto, ciberbulling, está a ganhar bastantes adeptos e isso verifica-se principalmente nas camadas mais jovens, visto que sao elas que mais tempo os novos meios de comunicação.
É sem duvida, um fenómeno que está em crescimento e ao qual todos nós estamos sujeitos. Este tipo de práticas violentas através da internet, também influenciam a propria identidade da vitimas, e a sua própria interacção para com os outros, tendo repercurssões nao só a nivel individual, como tambem social.
Cabe assim, a cada um de nós a tarefa de estarmos atentos e tentarmos passar uma mensagem positiva, e consciente relativamente aso meios de comunicação e aos problemas que lhes estão subjacentes.

Ana Catarina Correia disse...

O Bullying são actos premeditados e repetidos de violência física ou psicológica, praticados para intimidar ou agredir alguém, começa lentamente a entrar nos ouvidos da opinião pública. Cyberbullying permanece na penumbra, num território que só é desvendado quando se pesquisa sobre a matéria ou quando essa prática bate à porta. No cyberbullying recorre-se à tecnologia para ameaçar, humilhar ou intimidar alguém através da multiplicidade de ferramentas da nova era digital. Redes sociais da Internet, sites de partilha de fotos, imagens de telemóvel, gravações MP3, têm servido para desvirtuar a realidade pondo em causa a intimidade e a reputação. Em Portugal, também há jovens que são vítimas de cyberbullying. Vivem aterrorizados que os colegas da escola descubram as mentiras fabricadas, têm medo de contar o que estão a viver. E, na maioria dos casos, o agressor esconde-se sob a capa do anonimato.

É uma obrigação global denuciar os casos que nos sejam conhecidos e consciencializar a sociedade para este fenómeno cada vez mais actual e dissipado.
As mensagens de aviso e propaganda contra este tipo de agressões, que recebemos constantemente no nosso correio electrónico não devem ser enviadas para o caixote do lixo nem excluidas, mas sim reencaminhadas para todos os nossos contactos, para que estes não se tornem vitimas e possam reencaminhá-las novamente.
É importante sabermos onde estão os perigos para os podermos combater, e denunciar a todo o globo.

Filipa Andreia Ferreira do Outeiro Pereira

João F. S. C. Sanches disse...

O Bullying seja o cibernético ou o tangível, é uma atitude que a meu ver parte da incapacidade do agressor se colocar no papel da vítima assim como da sua necessidade de afirmação enquanto individuo.
Em certos contextos particulares como o local de trabalho e a escola tende a assumir proporções verdadeiramente desmesuradas, o que (lastimosamente) parte da aprovação e divertimento geral do público na maior parte dos casos.
Numa sociedade que estimula tanto a competição e a ambição pelo maior lucro, não me parece estranho que o Bullying continue a aumentar.

Tiago disse...

É forçosamente amargo, numa sociedade dita evoluída como a nossa, coisas deste género ainda sucederem. Somos cidadãos cada vez mais informados, estamos cada vez mais alerta, porém consentimos que o Cyberbullying seja ainda um assunto tabu, e por isso afecte centenas de pessoas.
Esta nas mãos de todos nós, a divulgação, porque pessoas informadas são necessariamente pessoas mais vigilantes e mais conscientes.


Gisela Oliveira´