blogue da disciplina de Psicologia Social da FLUP

sábado, 12 de dezembro de 2009

Utilização dos blogues por docentes de educação

A escola é mais do que um lugar de escolarização no sentido restrito devendo organizar-se e assumir-se como um espaço de educação, de preparação para a cidadania consciente, de combate às desigualdades sociais. Nesse sentido, cada vez são mais, e mais exigentes, as responsabilidades que, formal e informalmente a escola e os professores são chamadas a assumir. Dentro deste espírito, a escola tem sido chamada a intervir no combate à infoexclusão, nomeadamente integrando nas suas práticas o recurso às tecnologias de informação e comunicação, fazendo destas instrumentos úteis ao serviço do ensino e da aprendizagem e simultaneamente preparando os seus alunos para actuarem e intervirem num mundo onde as tecnologias de informação e comunicação estão cada vez mais presentes. Neste contexto, e apesar das limitações existentes, é possível identificar nas escolas de diferentes níveis de escolaridade, práticas pedagógicas, mais ou menos institucionais, frequentemente da iniciativa de um número relativamente reduzido de professores, que procuram explorar do ponto de vista do seu potencial educativo, os diferentes serviços e ferramentas disponíveis na Internet. De entre os serviços disponíveis na Web que nos últimos anos têm sido “adoptados” pelos professores como recurso e como estratégia pedagógica ao serviço do ensino e a da aprendizagem, incluem-se os blogues. O crescimento da “blogosfera educacional” e de práticas pedagógicas associadas à exploração pedagógica dos blogues torna relevante o desenvolvimento de estudos que nos permitam identificar e caracterizar as práticas existentes e definir linhas de desenvolvimento futuro.

Patrícia Marques

1 comentário:

☽O☾ Bruno Cerqueira ♉ disse...

Efectivamente, tem-se vindo a verificar uma crescente afluência por parte de pessoal docente de várias instituições escolares, a recursos oferecidos pela internet. O benefício é claro e terá, necessariamente, que ver com a evolução da sociedade nesse sentido (da informatização). Se esse acompanhamento (tecnológico) evolutivo não fosse sentido em termos escolares, bantantes benefícos seriam perdidos e, consequentemente, haveria um desfasamento entre a aprendizagem, a socialiazação com o mundo tecnólogico e virtual e as exigências futuras que o mercado de trabalho e a própria sociedade teriam subjacentes.